17 de dez de 2010

Artista usa técnica de cordel para retratar demônios

Gaúcho Samuel Casal apresenta xilogravuras com monstros e demônios na exposição Cordel from Hell

por Regiane Teixeira

Samuel Casal apresenta monstros e demônios
em suas gravuras

Pode-se dizer que o artista gaúcho Samuel Casal, de 36 anos, retrocedeu no quesito tecnologia. A afirmação não é pejorativa, já que o artista buscou esse caminho como uma decisão artística. Ilustrador desde 1990, sua especialidade sempre foi fazer desenhos digitais com a técnica da vetorização. Com traços pretos grossos, após anos de trabalho ele percebeu que seu estilo tinha semelhanças com a xilogravura, técnica bastante utilizada pela literatura de cordel. Em 2004, Casal começou a estudar a tradicional forma de talhar a madeira para construir um desenho. “A xilogravura tem muito do que eu fazia digitalmente, o principio é o mesmo”, afirma.

Para ele, trata-se de utilizar uma técnica que não depende de energia elétrica e mesmo assim conseguir um efeito moderno. “É renegar um pouco a facilidade tecnológica e fazer o caminho inverso, explorar o que é artesanal.” O artista apresenta no sábado (18/12) na galeria Choque Cultural 14 gravuras, com séries de 20 reproduções cada, feitas em seu atelier em Florianópolis. “Temas com o sobrenatural sempre permearam meu trabalho e coisas sobre demônios sempre me atraíram”, diz sobre o tema da série, intitulada “Cordel from Hell”. No evento, o artista também exibe as matrizes que utilizou para as xilogravuras.

Choque Cultural: Rua João Moura, 997 e 1001, Pinheiros, tel.: 3061-4051. Grátis. Dia 18, às 15h.

Vídeo no atelier de Samuel Casal:

0 comentários: